sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Futilidade, o que é isso ?

Pra quem não sabe, eu faço faculdade (nunca gostei dessa expressão, “fazer faculdade”, eu não faço, eu só estudo em uma. Mas todo mundo fala “fazer faculdade”, então não vou ser eu que vou falar diferente), estou cursando jornalismo. Quem faz esse curso, tem como colegas de sala pessoas cultas, inteligentes, bem informadas, enfim, pessoas que sabem conversar sobre os mais diversos assuntos. Porém, há algo que muitas dessas pessoas repudiam: a FUTILIDADE.
Eu nunca consegui entender esse conceito, futilidade, o que exatamente seria isso ?
Segundo o dicionário Aurélio, futilidade significa algo de pouco valor, insignificante.
E é aí que entra toda a questão que a meu ver não tem sentido nenhum.
Como algo pode ser considerado insignificante ? Tudo que existe tem algum valor pra alguém. Por exemplo, no caso do jornalismo, o que é considerado de grande valor é aquele jornal que fala sobre politica, economia, crimes, e todas essas coisas que são exibidas no Jornal Nacional, ou em qualquer outro jornal desses que os apresentadores parecem robôs (não estou criticando o jornalismo sério). E o que é considerado fútil, é o que fala sobre entretenimento, por exemplo o TV Fama, o site Ego, e todos os outros que fazem fofocas sobre artistas (ou não artistas, mas famosos).
O argumento usado para explicar que o TV Fama é fútil e o Jornal Nacional não, é o seguinte: No TV Fama só tem notícias do tipo “Nana Gouvea é vista passeando com seu cachorro na praia”, como isso pode mudar a minha vida ?
Ok, isso não vai mudar a sua vida, mas aí eu te pergunto, e quando o Jornal Nacional dá uma notícia do tipo “Pai mata a própria filha”, isso vai mudar a sua vida ? A minha não.
Se só não é considerado fútil aquilo que muda nossas vidas, então as únicas coisas que os meios de comunicação precisam exibir são coisas que envolvem politica ?
Não, pra que isso? Eu sou completamente contra a idéia de que tudo precisa ter um conteúdo sério. Concordo que os meios de comunicação servem para nos deixar bem informados, para que assim possamos nos envolver com propriedade nos assuntos que são de nosso interesse. Mas, também acho que depois de ver todos os problemas que o Jornal Nacional nos mostra, também precisamos de algo que nos faça relaxar um pouco.
É pra isso que servem programas como o TV Fama, Pânico na TV ou Superpop. Se você assistir, não vai aprender nada, não terá informações importantes e a sua inteligência e cultura não irão evoluir, mas esse não é o intuito mesmo. É só pra assistir e ficar na frente da TV um tempinho entretido com toda aquela bobagem.
Então, não acredito que algo que vai fazer você ficar relaxado e esquecer um pouco os problemas possa ser considerado algo insignificante. Logo, continuo sem entender o conceito de futilidade.
Na verdade acredito que poucas pessoas o entendam, a maioria só critica por que isso o faz parecer intelectual. Por que funciona assim, existem pessoas inteligentes, pessoas assumidamente burras, e pessoas burras que querem parecer inteligentes, as desse ultimo tipo não tem nada a acrescentar em uma discussão, não conhecem o que é bom, sua inteligência é baseada em criticar o que é ruim. E é por causa dessas pessoas que a “futilidade” é tão criticada.
Eu prefiro não criticar esse tipo de coisa, pra mim todo conteúdo é conteúdo, se vai mudar algo na minha vida ou na sociedade não me interessa. Se o pai estuprou a própria filha, eu quero saber. Se algum politico é corrupto, eu quero saber. Se a Mulher Melancia tem um novo affair, eu também quero saber. Pra que ? Não sei, mas é do meu interesse.

3 comentários:

  1. Verdade, nunca tinha pensado por esse lado da importância, já que a futilidade não tem. Mas eu a critico .K não sei porque, mas acho que ela faz com que as pessoas fiquem com um pensamento generalizado. Pode não evoluir a cultura, mas retarda e regride. Pode até ser uma forma de entretenimento, mas aquele que você fica com a cara de: ''essa besteira de novo?''. É isso.
    ótimo texto.

    ResponderExcluir
  2. Excelente texto! É sua opinião acerca do assunto "futilidade", se não concordamos, devemos respeitar.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  3. Que opinião legal. Gostei. Tenho um certo medo de quando for "fazer faculdade" {quero fazer jornalismo} e eu não estar tão envolvida nesses tipos de assuntos. O que me diria? O que devo fazer?

    ResponderExcluir