sexta-feira, 27 de abril de 2012

Livro: A verdade por trás da fantasia do pornô - Shelley Lubben

"A verdade por trás da fantasia do pornô" é a autobiografia de Shelley Lubben, uma ex-atriz pornô que atualmente preside uma fundação chamada Pink Cross Foundation, onde se dedica a ajudar pessoas a saírem da indústria pornográfica.
O livro tem esse título justamente por causa da "ilusão" que, segundo a autora, é vendida às atrizes em começo de carreira, onde os profissionais da área dizem que elas terão uma vida de glamour e fama. O que, de acordo com Shelley, não acontece. E também por que, ao contrário do que pensam os fãs e consumidores deste tipo de material, a autora diz que nenhuma atriz gosta de estar fazendo uma cena. Por mais que as imagens não mostrem isso, segundo ela tudo é atuação. 
Claro que isso parece óbvio. Na verdade é fácil de se imaginar que não é tão confortável estar em frente a uma câmera fazendo sexo, com pessoas observando, um diretor dizendo o que você deve fazer, um cinegrafista tentando focar nos seus melhores ângulos (que neste caso provavelmente será em sua vagina), um operador de áudio segurando um microfone para captar o som dos seus gemidos, e tudo isso sem contar o fato de que talvez você nem conhecia o cara que está na cama com você.
Sim, claro que é óbvio. Mas o fato interessante é que Shelley conta detalhadamente como é a preparação para uma cena, o que acontece antes, durante, e depois das gravações. Ela fala sobre a época em que participava dos filmes pornográficos, usando  o pseudônimo de Roxy, afirmando que durante suas cenas, atuava sob a ilusão de que estava dominando o homem com quem contracenava, de modo que conseguia fingir para si mesma que estava sentindo prazer em participar daquela cena, fazendo com que tudo parecesse real.
Além disso, o livro tem um grande apelo emocional, fazendo com que o leitor sinta certa empatia com a autora. Isso provavelmente porque ela estudou comunicação, então sabe se expressar de maneira bastante convincente, e também porque hoje ela é uma pessoa religiosa, e pessoas religiosas sempre estão preparadas para convencer e conquistar usando a questão emocional em seus discursos.

Também é interessante o fato dela citar que é bastante comum o uso de drogas entre os profissionais da indústria pornográfica. Shelley explica que muitas atrizes que fazem filmes onde existe brutalidade nas cenas (nos casos onde apanham, são enforcadas, etc), costumam fazer uso de drogas para aliviar dores, mas em diversas vezes acabam se viciando. E além disso, algumas usam medicamentos para conseguirem lidar com os traumas de serem humilhadas nas cenas.
O livro fala ainda sobre outros temas, como mortes precoces, uso exagerado de álcool, suicídios, homicídios, DSTs, e diversos problemas que acontecem com grande parte de atores de filmes pornográficos, sempre baseada em dados e exemplos, o que dá bastante credibilidade às suas citações.
A história de vida da autora, que é o foco central do livro, é cheia de traumas e problemas, que segundo ela, foram de grande influência em sua entrada na indústria pornográfica. No decorrer da história ela cita passagens de quando teve que se prostituir, dançar em clubes de striptease, e diversos outros problemas que tornaram suas experiências com sexo traumáticas, até conseguir superar tudo e ingressar na vida religiosa.

Por fim, pode-se considerar que o livro é interessante para os leitores dos mais diferentes interesses. Nele se encontra conteúdo relacionado ao sexo, ideal para quem quer entender como funciona a indústria por trás disso tudo; religião, e superação, já que a autora mostra que passou toda sua vida tentando superar seus traumas. É possível dizer que o livro tem até uma pontinha de auto-ajuda, justamente pelo fato de mostrar como a insistência pode vencer um trauma.


@RafaelRoochaa

Nenhum comentário:

Postar um comentário